2 de março de 2012

LIÇÃO 8 - TENHA CUIDADO COM O QUE FALA!

A LÍNGUA E OS SEUS EFEITOS
Você sabia que a língua é comparada a um pequeno fogo que pode incendiar um bosque intero? (Tg 3.5,6) A língua é uma arma perigosa. Muitos males e tragédias já aconteceram com pessoa que usaram inconsequentemente a sua língua. Tenha cuidado!
Certo jovem procurou difamar um homem sábio. Mas depois de alguns dias, após ter falado mal dele para algumas pessoas, arrependeu-se do que havia feito. Tentando reparar o seu erro procurou o sábio e pediu-lhe perdão. O sábio, sem responder, levou-o até o cume de uma montanha, pegou uma folha de papel e rasgou em pedacinhos, espalhando-os no ar. Em seguida, disse ao jovem:
- Tente juntar todos os pedacinhos de papéis que foram levados pelo vento. Quando você conseguir juntá-Ios, volte aqui e eu o perdoarei.
- Mas isto é impossível - respondeu o jovem.
Porém, o sábio replicou:
- Eu posso perdoá-Io, mas o que você falou sobre mim espalhou-se como aqueles pedaços de papel. Assim como é impossível juntá-los, também será impossível consertar o que fez.
Reflita sobre a maneira como tem usado a sua língua. Procure afastar-se das conversas enganosas. Observe o que diz o livro de Provérbios: "Quem toma cuidado com o que diz está protegendo a sua própria vida, mas quem fala demais destrói a si mesmo" (Pv 13.3).




GUARDANDO A LÍNGUA DO MAL
Precisamos aprender a guardar a língua do mal. Veja alguns dos pecados que podem ser cometidos pelo mau uso da língua:
a) A mentira. Mentir tornou-se um hábito ruim entre algumas pessoas. Uns mentem com o intuito de enganar ou tirar vantagens do seu próximo; alguns a cometem por não ter coragem de assumir os seus atos; e outros por acharem que falar sempre a verdade "machuca" as pessoas. Entretanto, saiba que qualquer tipo de mentira desagrada a Deus (Pv 12.22). A mentira é um instrumento diabólico que o homem usa para sua própria condenação (v.19-21). Ananias e Safira morreram porque mentiram (At 5.1-11). O Diabo é o pai da mentira (Jo 8.44). Portanto, procure praticar sempre a verdade (Ef 4.25; 2 Jo 1.2).
b) A calúnia. A calúnia é um dos males mais terríveis que alguém pode cometer contra o seu próximo. Você já imaginou o quanto é difícil saber que alguém fez uma declaração falsa pondo em dúvida os seus atos e o seu caráter? Leia o que diz o livro de Provérbios sobre as pessoas que caluniam: "A falsa testemunha é castigada e certamente será condenada à morte" (Pv 19.9). Procure sempre falar de modo justo e honesto a respeito de quem quer que seja.
c) A difamação. Creio que você já observou que algumas pessoas têm o prazer de sair proferindo boatos acerca dos outros. Quem difama ou fala mal do seu próximo comete um crime contra a honra da pessoa. A difamação provoca contendas e separa amigos íntimos (Pv 16. 28). Por isso, afaste-se daqueles que denigrem a imagem dos outros.
d) A murmuração. Murmurar também é um mal causado pela língua. Há pessoas que costumam reclamar e falar mal de tudo. Às vezes resmungam e falam palavras e expressões feias que entristecem ao Espírito Santo de Deus. A Bíblia condena a murmuração e nos mostra os males que esta pode causar em nossa vida (1Co 10.10).




O CONTROLE DA LÍNGUA
Você está pronto para descobrir como controlar a sua língua? Saiba que as nossas palavras não podem ser jogadas ao vento. Precisamos ter controle de tudo o que falamos e fazemos. Atente para o seguinte exemplo:
Conta-se que, um dia, um amigo foi procurar Sócrates, o célebre filósofo grego, desejando contar-lhe uma "coisa" sobre a vida de um outro amigo comum.
– Quero lhe contar algo sobre o nosso amigo Andréas que vai deixá-lo boquiaberto. – Espera, interrompeu o filósofo. – Passaste isso que vais me contar pelas três peneiras? –Três peneiras?, Indagou o interlocutor. – Que três peneiras?
– Primeira peneira: a "coisa" que vai me contar é verdadeira?
– Eu assim creio, pois me foi contada por alguém de confiança respondeu o amigo.
– Bem, alguém lhe disse... Vejamos a segunda peneira: a "coisa que tu pretendes me contar é boa? O outro hesitou, titubeou e respondeu:
– Não exatamente.
Sócrates continuou sua inquisição:
–Isso começa a me esclarecer verifiquemos a terceira peneira, que é a prova final: o que tinhas a intenção de me contar é de utilidade tanto para mim como para nosso amigo Andréas e para ti mesmo?
– Não, não e não.
– Então, meu caro, disse Sócrates, a "coisa" que tu pretendias me contar não é certamente verdadeira nem boa, nem útil. Assim, não tenho a intenção de conhecê-Ia e aconselho-te que não procure transmiti-las.
A cada dia, somos alvos de pessoas com grande desejo de contarnos "coisas" a respeito dos outros. Devemos procurar fazer o "teste das três peneiras". É verdade? É bom? É útil? Caso negativo, devemos simplesmente evitar que sejamos parte integrante nas bisbilhotices e mexericos de pessoas cheias de novidades sobre a vida alheia. (autor desconhecido)
Quem controla a língua, controla também todas as áreas de sua vida. Veja alguns passos indispensáveis para quem deseja obter esse controle:
a) Pense antes de falar. Devemos pensar sempre nas consequências daquilo que fazemos. Por isso, cuidado para não falar precipitadamente (Cl 3.8).
b) Encha o coração com coisas boas. Quem guarda a boca protege o coração do mal. A Bíblia mostra que a boca fala daquilo que o coração está cheio (Lc 6.45). A boca do justo é um manancial de vida (Pv 10.11). Se você deseja encher o seu coração de coisas boas, aprenda a pensar no que é bom (Fp 4.8).
c) Tenha controle daquilo que fala. O salmista orou pedindo a Deus que o ajudasse a ter controle sobre aquilo que ele falava: "Ó SENHOR, controla a minha boca e não me deixes falar o que não devo!" (Sl 141.3) O controle da língua é necessário. Para isso, você precisa cultivar o Fruto do Espírito (Gl 5.22). Quando buscamos o Espírito Santo e deixamos ser dominados por Ele, adquirimos domínio próprio. O Espírito Santo nos capacita a controlar aquilo que devemos ou não falar.
Aprenda a ter controle sobre a sua língua falando apenas o que é bom, puro e verdadeiro. Um dia, Deus pedirá conta de todas as palavras que saíram da nossa boca. Jesus ensinou que pelas nossas palavras seremos justificados ou condenados (Mt 12.37). Portanto, siga as instruções que aprendeu nesta lição e guarde a sua língua do mal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário